felipe grillo

[ PSICANÁLISE ]

[ SOBRE ]

 

Psicanalista

Psicólogo CRP 05/40357

 

 

Felipe Grillo é psicanalista, músico e designer gráfico. Membro da Internacional dos Fóruns do Campo Lacaniano, participante de Formações Clínicas do Campo Lacaniano do Rio de Janeiro e membro do Conselho de Criação da revista virtual stylete lacaniano da EPFCL- Brasil (www.stylete.com); especialista em Psicologia Clínica pela PUC-Rio e treinamento profissional no Ambulatório de Psiquiatria Infantil do Hospital Universitário Pedro Ernesto. Graduado em Psicologia pela Universidade Gama Filho; em Desenho Industrial, com habilitação em Comunicação Visual, pela UFRJ; e pianista com curso no Musicians Institute em Los Angeles. Trabalhou com atendimento clínico no Instituto AGIR, na Rocinha, e no Projeto Girassol, no Guararapes, e atualmente atende em consultório particular no Rio de Janeiro.

[ PSICANÁLISE ]

 

 

O tratamento psicanalítico visa a transformação subjetiva através da fala. Fala esta que trata o intratável; o uso de palavras para dizer daquilo que não se pode dizer; falar, falar e falar para contornar o impossível.  É eficaz, sem dúvida, e sua eficácia é simbólica, como nos introduziu Lévi-Strauss e muito precisamente capturou Jacques Lacan, mas não apenas. Depois de tanto perambular pelos consultórios médicos, descrente do efeito dos remédios, meros paleativos, o sujeito procura um analista com uma pergunta: “O que será que será? / O que não tem decência nem nunca terá / O que não tem censura nem nunca terá / O que não faz sentido / O que será que será? / O que não tem governo nem nunca terá/ O que não tem vergonha nem nunca terá / O que não tem juízo”.

 

É, portanto, impulsionado pelo desejo de saber sobre isso que bole por dentro, que o sujeito é convidado a trilhar a trilha dos tijolos amarelos que, como todos sabem, tem obstáculos, mas é de ouro! E o que encontra ao final? A casa? A Outra casa, a Outra cena. O Eu não é mais senhor da própria casa. Ao abrir a boca, o sujeito é atravessado por um Outro. Descobre-se enfim falado. São os lapsos, os sonhos, os atos falhos que de falhos não tem nada! Somos, enfim, falados por um Outro; um Outro que fala em nós. E numa análise, caminhamos no sentido de tentar responder o que o Outro quer de mim para deixar cair pelo caminho as palavras que nos aprisionam, na busca de um desejo novo, singular.

FALE! ]

 

Atendimento psicanalítico com crianças, adolescentes e adultos

 

Consultório particular:

Travessa Visconde de Morais, 90

BOTAFOGO - Rio de Janeiro, RJ

 

Celular:

21  98258-7977

 

Email:

felipegrillo@hotmail.com